ORFEUS

orfeus_logoORFEUS – The Tridentine Reform and the music in the silence of the cloister: the monastery of S. Bento de Cástris (A reforma tridentina e a música no silêncio claustral: O mosteiro de S. Bento de Cástris)

Project FCT EXPL/EPH-PAT/2253 – project Website

The Council of Trent would mark decisively in the modern period Catholic liturgy and liturgical books (for the Mass or for the Divine Offices) are a key part of this liturgy, which texts are based in the Holy Scripture and in the Romanum Breviarium approved by Trent. In religious communities Liturgy marked the daily monastic life and the Divine Office consecrated divine works joining prayer, reading, music and song. Throughout the day the Divine Office determined the prayer order, following the Breviary which asserted itself since the eleventh century (and summed up the Antiphonal, the Psalter, the Lectionary and the Martyrology in only one book), later simplified by the mendicants, and whose content could change accordingly to each region rituals. The Project called ORFEUS studies the Divine Office books from the sixteenth to the eighteenth centuries in Portugal used by the Cister Order in a female monastery, S. Bento de Cástris, as a witness for the guidelines which came out from the Council of Trent. The importance given to music by Cistercian monasteries was responsible for the circulation of liturgical books of various kinds, and with time became even more complex. Remember that for Bernardo de Claraval decorative aesthetic manifestations should follow poverty and simplicity principles, avoiding superfluous, and he should apply himself to singing and music practice; different perspectives from the holy founder explain the various reforms in Cistercian liturgy throughout time. Also in Portugal and throughout time, the importance of Cistercian sacred music was revealed in Breviaries and Invitatories according to Cistercian use, Book of Hymns, Saint or Temporal Antiphonals and Graduals, Psalters, Lectionaries, Martyrologies and Cistercian Processionals. The project ORFEUS analyzed the Choir books of the Cistercian feminine monastery of S. Bento de contextualizing them with the Tridentine measures and their implications in monastic daily life. The group which was examined can be found in Évora District Archive and in Évora Public Library, and the study aims to appreciate, from the books selected, the permanence and disruptions that the Council of Trent involved in a musicological, iconographic and codicological level. Historical and documentary perspective allowed beyond epochal framework and cross-reading of collected data, an analysis of religious and sacramental practices mostly reproduced as well as religious parties’ hierarchy in the monastery, providing information for understanding the female Cistercian life from XVI and XVII centuries, comparing it with the requirements from the Order Constitutions, Chapter Laws and Visits Recommendations. The Project lays on a multidisciplinary approach, bringing together researchers from several universities, research centers and different formations, like History (modern period), Architecture, Codicology, Paleography and Iconography, Music, Musicology and Organology.

Os ditames de Trento marcariam decisivamente a liturgia católica no período moderno, e os livros de litúrgicos (para a missa ou para os Ofício Divino) são parte fundamental desta liturgia, baseando-se os seus textos na Sagrada Escritura e no Breviarium Romanum aprovado por Trento. Para as comunidades religiosas, a liturgia marcava o quotidiano monástico, e o Ofício Divino consagrava as obras divinas através da conjugação entre a oração, a leitura, a música e o canto. O Ofício Divino ditava a ordem das orações ao longo do dia, seguindo o Breviário que se impusera a partir do século XI (resumindo num só livro o Antifonário, o Saltério, o Lecionário e o Martirológio), posteriormente simplificado pelos mendicantes, sendo que o seu conteúdo podia variar de acordo com os rituais de uma dada região. É sobre os livros para o Ofício Divino usados pela Ordem de Cister nos séculos XVI a XVIII em Portugal num mosteiro feminino, o mosteiro de S. Bento de Cástris, que o projeto ORFEUS se debruça, enquanto testemunho das orientações saídas do Concílio de Trento. A importância consagrada à música pela Ordem de Cister fez com que nos seus mosteiros circulassem livros litúrgicos de natureza variada, e que se complexificou com o decorrer do tempo. Lembremos que para Bernardo de Claraval as manifestações estéticas e decorativas deviam reger-se pelos princípios da pobreza e da simplicidade, evitando o supérfluo, e que o mesmo se deveria aplicar à prática do canto e da música; perspetivas diversas da do santo fundador explicam as várias reformas na liturgia cisterciense ao longo do tempo. Também em Portugal se manifestou, ao longo do tempo, a importância da música sacra cisterciense, revelando-se em Breviários, Invitatórios conforme o uso cisterciense, Livros de Hinos, Antifonários e Graduais Santorais ou Temporais, Saltérios, Lecionários, Martirológios e Processionais cistercienses. O projeto ORFEUS analisou o espólio do mosteiro cisterciense feminino S. Bento de Cástris (séculos XVI-XVIII) contextualizando-o com as medidas tridentinas e as suas implicações no quotidiano monástico. O conjunto analisado encontra-se no Arquivo Distrital de Évora e na Biblioteca Pública de Évora, sendo que o estudo visou apreciar, a partir dos livros selecionados, as permanências e as ruturas a nível musicológico, iconográfico e codicológico que o Concílio de Trento implicou. A análise histórica e documental permitiu além do enquadramento epocal e da leitura transversal dos dados recolhidos, analisar as práticas religiosas e sacramentais mais reproduzidas e da jerarquia das festas no mosteiro, fornecendo elementos para o entendimento da vida feminina cisterciense de Quinhentos e Seiscentos, confrontando-a com o exigido nas Constituições da Ordem e pelas leis capitulares e recomendações de Visitas. Da mesma forma, atentou-se ainda no estudo e identificação de redes diversas (familiares, geográficas, de hierarquia social, internas ou externas ao mosteiro) ligadas à música e ao canto e ao seu ensino e execução, privilegiando a relação com a cidade e com a sua importante Escola de Música. O Projeto privilegiou uma perspetiva multidisciplinar, juntando investigadores de diversas Universidades e Centros de Investigação, bem como de formações distintas, particularmente a História (período moderno) Paleografia e Codicologia, Arquitetura, Música e Musicologia e Organologia.